Paris, 1981. Os sanitários públicos são escassos, desatualizados e mal conservados na cidade luz. Reservados para homens, não passam de urinóis ao ar livre. Ao inventar o sanitário público num sistema de cabine fechada com capacidade de autolimpeza, a JCDecaux surpreendia o mundo com uma solução prática de mobiliário urbano. Hoje, esta inovação de saúde pública celebra 40 anos!

Sanitários públicos, parte essencial do mobiliário urbano

Quem passeasse pelas ruas de Paris nos anos 80, arriscava encontrar um cenário muito diferente da cidade romântica que hoje imaginamos. As instalações sanitárias eram praticamente inexistentes e as poucas que existiam sofriam com má manutenção. Os turistas estranhavam e as mulheres não tinham acesso. Foi neste contexto que Jean-Claude Decaux projetou o primeiro sanitário com autolimpeza, acessível a todos.
Alguns meses depois, não muito longe do Centre Pompidou, os parisienses descobriram três novos exemplos de mobiliário urbano. Os novos sanitários estavam carregados de inovações: eram totalmente automatizados para limpeza e desinfeção completa após cada utilização e tinham lavagem dos equipamentos e de piso.
A reação foi entusiástica. Pouco depois, o Município de Paris votava a favor da instalação de 400 sanitários automáticos. A seguir a Paris, Lisboa foi uma das primeiras cidades a receber este tipo de mobiliário urbano, a par de Marselha e Lyon.

Hoje, os sanitários públicos continuam a dar resposta a uma necessidade fundamental de habitantes e turistas e são parte integrante da paisagem urbana global. Totalmente integrados na paisagem urbana, os nossos mobiliários são fruto da cooperação com arquitetos aclamados, de uma abordagem que combina design e funcionalidade e de um longo passado.
 

 

40 anos a inovar – Novas funcionalidades que garantem o conforto dos cidadãos e turistas

Nos últimos 40 anos, a JCDecaux inovou constantemente, desenvolvendo novas funcionalidades para facilitar a vida dos moradores e visitantes da cidade, e para tornar esta forma de mobiliário urbano acessível a mulheres, homens, crianças, idosos e pessoas com deficiência.
Em 1993, o sanitário público automático passou a ser acessível a pessoas com mobilidade reduzida. Posteriormente, as instruções de voz foram disponibilizadas em vários idiomas, bem como em braille. Em 2006, o serviço tornou-se gratuito, levando a um grande aumento no uso.
Hoje, os sanitários públicos são mais amplos e acessíveis, com aquecimento no inverno, e uma vasta gama de funcionalidades, como bebedouros e dispensadores de gel para as mãos, contribuindo para o bem-estar e a inclusão.
Apesar de todas as inovações e da experiência de 4 décadas, sabemos que os sanitários públicos são o tipo de mobiliário urbano mais desafiante, com inúmeras e variadas condicionantes. O nosso papel é garantir o bom funcionamento, limpeza e higiene de um serviço de grande procura, com utilização crescente, e lidar com o uso indevido e vandalismo.
Por isso, planeamos e controlamos de perto todos os aspetos desta forma de mobiliário urbano, tornando-o universal em termos de ergonomia e robusto no que toca ao design.

Mobiliário urbano ecológico – o desafio dos sanitários públicos de última geração

Para nós, a preocupação com a sustentabilidade do nosso mobiliário urbano é uma constante e tem nos sanitários públicos uma expressão visível. Recorremos a um design ecológico para equilibrar a qualidade com uma pegada ambiental otimizada, em todas as fases do ciclo de vida.
Por exemplo, instalamos um tanque embutido no telhado para recolher a água da chuva que pode ser usada para lavar o chão e a parte externa do sanitário. Também instalamos autoclismos de descarga ajustável para minimizar o consumo de água.
No que toca ao consumo energético, desenhamos estas peças de mobiliário urbano com iluminação natural e fontes de luz de baixo consumo, acionadas por sensor de movimento. As restantes necessidades de energia são cobertas por fontes de energia renováveis.
Para além disso os nossos colaboradores recebem formação e asseguram uma manutenção técnica qualificada cumprindo todos os requisitos necessários ao nível de sustentabilidade.

 

 

A importância do mobiliário urbano num mundo pós-covid

Como consequência da crise sanitária causada pela COVID-19, implementamos novos protocolos para assegurar a segurança dos utilizadores dos sanitários públicos e das equipas de manutenção.
Para permitir a utilização das instalações sanitárias por todos e, em particular, pelos sem-abrigo, equipamos os nossos colaboradores com fatos, máscaras e luvas especiais, e introduzimos medidas de desinfeção mais rigorosas. A continuidade do funcionamento mesmo durante a crise, é mais uma prova da qualidade inclusiva e universal das casas de banho com manutenção automática da JCDecaux, serviço indispensável à higiene e qualidade de vida na cidade.

A inovação está no nosso ADN. Sempre consideramos que a higiene dos espaços públicos é um direito universal e, ao longo da nossa história, contribuímos ativamente para melhorar a limpeza e qualidade de vida dos habitantes nas cidades.  Como resultado, hoje contamos com mais de 2.500 casas de banho públicas em 28 países e não paramos de expandir.
Do Canadá à Austrália, os nossos sanitários são utilizados por 23 milhões de pessoas anualmente. Manter as cidades limpas é uma prioridade de todos e continuaremos esta missão com o mesmo espírito dos últimos 40 anos.

40 ANOS DE HISTÓRIA